Buscar
  • Alencar Oliveira

Os desafios do processo de internacionalização das empresas

A ação de se internacionalizar uma empresa pode trazer vantagens, principalmente o aumento do número de clientes potenciais, o que pode significar um aumento nos lucros da empresa. O fato é, que, para grandes empresas com recursos financeiros, esse processo costuma ser mais simples, uma vez que têm a possibilidade de levar seus produtos e/ou serviços para o exterior. No entanto, para empresas menores, a situação é diferente.



Certo é que a mudança nas organizações tem figurado como um agente transformador e mobilizador na gestão organizacional, fazendo com que os gestores aprendam a administrar não somente processos e receitas, mas, principalmente, a tomada de decisão com qualidade, precisão e gestão, que nesse momento é estratégico para que as organizações se adaptem às transformações, inovem e, assim, se preparem para o futuro.


No que se refere ao princípio geral da internacionalização a busca de ganhos de competitividade e ampliação de mercado deve ser o primordial. O primeiro passo no processo de internacionalização é começar a exportar, associado a um esforço comercial, mas que pode ser a mera replicação do modelo local.


Tornar-se efetivamente internacional exige mudanças em toda a organização para entender e aprender sobre a diversidade do mundo. O processo de internacionalização exige investimentos significativos e tem retorno demorado.


Para Cerceau e Lara (2015), os desafios empresariais estão em dois eixos: o da estratégia e o da preparação das pessoas. Tudo começa com o desenvolvimento de competência na formulação e na implementação da estratégia de negócio e de gestão.


Já para Goulart, Arruda e Brasil (1994), a internacionalização deve vir acompanhada de mudanças que levem em consideração três mecanismos importantes: como se dará a criação de valor no mercado estrangeiro, como tal valor será capturado pela empresa e, por fim, como ele deverá ser entregue ao consumidor.


Além disso, é importante considerar que nem sempre é possível aplicar no exterior o mesmo modelo de negócios que no mercado interno. Outros obstáculos que devem ser considerados no processo de internacionalização incluem a correta definição do local de atuação da empresa, o fortalecimento do relacionamento entre a organização e seus clientes para garantir o processo de venda de produtos ou serviços, e barreiras linguísticas e culturais, que podem causar dificuldades na comunicação entre gestão e consumidores.


Apesar das dificuldades, desde que a empresa dê total atenção ao entendimento dos mercados externos e esteja disposta a investir nas mudanças organizacionais, tecnológicas e estruturais necessárias para a atuação no mercado internacional, a internacionalização pode ter sucesso.


Para atuar no mercado internacional, é necessário, primeiro, que a empresa adote determinados procedimentos. Nesse sentido Melsonh (2006) aponta 3 estágios pelos quais uma pequena empresa deve passar para ser internacionalizada:


O primeiro, é dar a devida atenção ao próprio mercado doméstico, mas já visando o mercado exterior. O segundo, é envolvimento participativo e efetivo no primeiro mercado externo em que a empresa irá atuar, a fim de entender como ele funciona e possibilitar o foco na expansão de mercados adicionais. Por fim, é necessário envolver outros atores chave quando surgir a possibilidade de atingir diversos mercados, garantido à empresa o conhecimento e o acesso a recursos importantes no exterior. (Melsonh, 2006, p. 37).


Por outro lado, Baroni (2016) aponta outras barreiras devem ser consideradas no processo de internacionalização:


a) Correta definição da localidade específica em que a empresa irá atuar;

b) O processo de estreitamento de relações-clientes para garantir a venda de produtos ou serviços;

c) Barreiras linguísticas e culturais, que podem levar à dificuldade de administração da empresa e de gestão da comunicação com o consumidor.


No que tange ao processo de internacionalizar, o desafio está em se adaptar rapidamente, colocando à disposição do novo mercado a oferta, o conhecimento e o talento, afirma Rivera (2014). Ainda para o autor, os responsáveis da internacionalização devem saber transmitir nos países de chegada uma forte cultura corporativa.


Com certeza, o maior desafio é também uma excelente oportunidade para a empresa se internacionalizar. O que é preciso ressaltar é que, para que uma empresa tenha sucesso no processo de internacionalização, a inovação é o principal fator para o alcance dessa conquista. A tecnologia é outro ponto chave do desempenho empresarial, pois, desde que entrou no mercado internacional é de grande importância aumentar a quantidade de produtos exportados e sua permanência no mercado externo. Empresas que utilizam inovação em processos e produtos têm melhor desempenho do que aquelas que não usam essa estratégia.




Baroni, Andreza. (2016). Desafios e cuidados no processo de internacionalização. [Online]. Disponível em: <https://comunidadesebrae.com.br/inovacao/desafios-e-cuidados-no-processo-de-internacionalizacao> [Acesso 08 outubro 2020].


Goulartt, Linda; Arruda, Carlos A., Brasil, Haroldo V. (1994). A Evolução na Dinâmica de Internacionalização. Revista Brasileira de Comércio Exterior, Rio de Janeiro, n. 41, p. 31-40.


Lara, J. E.; Cerceau, J. (2015). Estratégias de internacionalização de empresas: uma abordagem teórica. [Online]. Disponível em: http://www.anpad.org.br/admin/pdf/enanpad1999-ae-23.pdf [Acesso 08 outubro 2020].


Melsonh, M. C. M. (2006). O processo de internacionalização de pequenas e médias empresas brasileiras. [Online]. Disponível em: <https://bibliotecadigital.fgv.br/dspace/bitstream/handle/10438/2243/145223.pdf> [Acesso 08 outubro 2020].


Rivera, Juan. (2014). Os desafios da internacionalização da empresa latino-americana. [Online]. Disponível em: <https://www.revista-uno.com.br/numero-15/os-desafios-da-internacionalizacao-da-empresa-latino-americana/> [Acesso 08 outubro 2020].


38 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo