Buscar
  • Alencar Oliveira

DIVERSIDADE: A PRESENÇA DA DIFERENÇA.



Quando se trata de pessoas, um tema que vem ganhando notoriedade e importância cada vez mais é a diversidade.

A diversidade é a presença da diferença. Simples assim. Pessoas de várias raças, gêneros, status socioeconômico, orientação sexual, religiões, etnia, habilidades mentais ou físicas. Quando aplicada a uma organização, a definição deve incluir diversidade cognitiva (diversidade de ideias) e diversidade cultural.

E Ela não está presente somente na população, e sim, também, no meio empresarial e aí que é o grande desafio das empresas de criar uma integração organizacional capaz de valorizar as diferenças e garantir que as identidades sejam respeitadas mesmo com grupos distintos presentes no ambiente de trabalho.

A diversidade é um dos temas que buscam dar conta de uma sintonia entre organizações e sociedade, à medida que constrói abertura para uma economia e sociedade mais globalizadas; responde aos questionamentos morais e éticos em torno da igualdade de direitos e oportunidades; reduz reivindicações, problemas jurídicos e exposição negativa de imagem das organizações diante do risco de acusações de discriminação e preconceito; contribui para a construção de ambientes organizacionais mais ricos, estimulantes e mais representativos da face humana; e capitaliza e mobiliza forças criativas em seus benefícios em virtude da maior riqueza de análise de equipes multiculturais.

A questão maior dentro das organizações é ter um entendimento coeso de que diversidade não é apenas respeitar sexo, gênero e cores, mas sim, respeitar ideias diferentes da sua e, principalmente, que essa diversidade seja pautada dentro da cultura organizacional da empresa, do seu DNA com valores empresariais.

Portanto, a diversidade significa ter um ambiente de trabalho consciente, construtivo para todos que fazem parte da organização e que, acima de tudo, promova o desenvolvimento das pessoas, a harmonização entre todos e troca de experiências. Entretanto, a realidade é muito distante do que se prega pela prática dentro das organizações.

A diversidade deve ser entendida como, além de responsabilidade social da organização, uma estratégia competitiva e. por isso, demanda uma visão holística da organização no sentido macro, externo à empresa, e micro, aspectos internos da organização”.

Certo é que a diversidade nas organizações tem figurado como um agente transformador e mobilizador na gestão organizacional, fazendo com que os gestores aprendam a administrar não somente processos e receitas, mas principalmente pessoas de formas diversas. O desafio é gigantesco, por ser nossa cultura impelida, ainda, por muita discriminação, falta de visão humanizada, falta de direitos de igualdade e uma conscientização da sociedade como um todo sobre os direitos e as particularidades das pessoas.


Ao longo do tempo as organizações vêm se adequando à novas demandas do contexto no qual estão inseridas e desta forma, na atualidade uma nova pauta vem obtendo maior atenção de gestores e organizações: o tema da diversidade. Este tema vem demandado novas políticas nas áreas de gestão de pessoas e marketing, especialmente, e as organizações brasileiras vem implementando programas e ações visando se adequar a esta nova realidade que ainda apresenta tantos desafios e oportunidades aos gestores e equipes.


Primeiramente, precisamos saber se as empresas realmente entendem como a diversidade no ambiente de trabalho pode beneficiar seus negócios. Segundo e mais importante ponto a se questionar: será que elas realmente fazem da contratação de colaboradores diversos uma prioridade estratégica?

Num mundo tão globalizado, onde pessoas sempre serão mais importantes dentro de uma narrativa empresarial, a diversidade é extremamente valiosa ao se tratar de negócios. O termo diversidade, no contexto organizacional, embora comumente seja associado apenas aos grupos de minoria como negros, mulheres e homossexuais, tem um significado muito mais amplo. Ela consiste em todos os fatores que constroem um indivíduo, incluindo idade, gênero, nacionalidade, crenças, personalidade, status social e orientação sexual. Desta forma, entende-se a diversidade como qualquer característica que possa influenciar a identidade de uma pessoa, ou a maneira pela qual ela trata os problemas e vê o mundo.

É verdade que parte da diversidade se trata da inclusão de pessoas com estes diferentes perfis. Mas não é apenas sobre tolerar pessoas que são diferentes de você. Ela só irá acontecer como prática estratégica, a partir do momento que os gestores olharem além disso, ou seja, só acontecerá efetivamente quando todos acreditam, de fato, que pessoas com experiências diferentes podem contribuir de forma significativa para o alcance de resultados, independentemente, do seu gênero, nacionalidade, crenças, etc.

Toda empresa tem um papel social importante, não é mesmo? Ou pelo menos deveria ter. Em uma sociedade com tamanha multiplicidade cultural, é importante que as organizações desenvolvam uma postura madura para encarar as diferenças. A diversidade no ambiente de trabalho é um fator que merece bastante atenção e que pode gerar uma série benefícios, se você desenvolver uma boa abordagem da questão.

Passou da hora das organizações entenderem de fato que a diversidade deva ser tratada como gestão, com práticas de trabalho, de relacionamento interpessoais, de gestão de pessoas e, principalmente, de profissionalismo, uma vez que esse modelo de negócio se faz presente pelo mundo afora.

A diversidade no ambiente de trabalho significa o desenvolvimento, por parte da organização, de uma postura madura diante da pluralidade da nossa sociedade. Isso significa acolher os colaboradores nas suas diferenças e apoiar a inclusão e a tolerância com as multiplicidades culturais.

É preciso pensar em gestão da diversidade não como "ser", mas "ESTAR". É papel de todos, da sociedade, das empresas, do Governo, do País, da comunidade e principalmente, das pessoas.

55 visualizações0 comentário